Janeiro 2017 - Dicas Curiosas BR

Post Top Ad

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Catástrofe global: Fim do mundo está previsto fevereiro de 2017

07:52 0
O mundo poderá acabar no próximo mês (Foto: NASA/Reid Wiseman)   
Se você sobreviveu às previsões de que o mundo acabaria em 2012, prepare-se para o 16 de fevereiro. Daqui a 20 dias, segundo o cientista russo Dyomin Damir Zakharovich, a vida na Terra será dizimada. E a culpa é do ‘2016 WF9’, corpo celeste (monitorado pela Nasa) de um quilômetro de diâmetro em rota de colisão com o planeta.A agência espacial americana confirma que o monstrengo, um bólido errante e escuro que pode ser um cometa ou um asteroide, está se aproximando da Terra e passará perto da órbita no dia 25. Zakharovich, porém, afirma que os cálculos da Nasa estão errados. “A Nasa sabe e não fala”, dispara. “Só agora estão começando a avisar, mas aos poucos”, acusa.

Segundo o russo, o WF9 tem viajado em direção à Terra há cinco anos. Passou por baixo do Cinturão de Asteroides e pela órbita de Marte. E vai bater no planeta dia 16 — só não tem como precisar onde. Caso atinja um continente, o choque, o deslocamento de ar e as explosões acabarão com tudo em volta. Se bater no mar, surgirá um tsunami devastador.

A Nasa garante que não há motivos para pânico. “Estudamos a fundo a trajetória do WF9. O corpo celeste não representa ameaça no futuro próximo”, afirma a agência, em nota. “Vai passar a 51 milhões de quilômetros da Terra”, detalha.

Não faria nem cócegas, segundo a Nasa. Para efeito de comparação, o 2016 RB1, asteroide do tamanho de um ônibus descoberto por acaso, ‘tirou um fino’ da Terra em setembro, passando a 40 mil quilômetros — ou um décimo da distância até a Lua.

Como se o asteroide não fosse suficiente, teóricos da conspiração ainda acreditam que o planeta imaginário Nibiru também está em rota de colisão.

O suposto astro (que também é chamado de Planeta X) teria sido direcionado para a órbita terrestre por uma força gravitacional e deverá nos acertar em outubro deste ano. Não existe qualquer comprovação científica da existência de Nibiru.
Read More

Você já ouviu falar no misterioso vórtice do golfo de Áden?

04:11 0

Nós temos uma fixação por temas que envolvam o sobrenatural e a paranormalidade. Por exemplo, já contamos que os alienígenas só não se comunicam com a Terra por conta da criptografia, mostramos alguns itens assustadoramente malignos e relembramos cinco mistérios ainda não solucionados.

E é nessa linha “Arquivo X” que abordaremos um assunto sugerido pela leitora Débora Cristina Romani: o misterioso vórtice do golfo de Áden! Então, apague as luzes e venha sentir um medinho aqui conosco.

Localização

O golfo de Áden fica localizado entre o Iêmen (no Oriente Médio) e a Somália e Djibouti (na África). Ele conecta o mar Vermelho ao oceano Índico, mas é controlado por diversos piratas modernos, sendo bastante perigoso para os navios.

Entretanto, não estamos aqui para falar de piratas – apesar de que eles ainda vão entrar na história novamente. Estamos aqui para abordar uma conspiração governamental mundial para encobrir uma “estrada” para outros planetas. Sim, o tal vórtice seria a passagem de um “buraco de minhoca” que nos levaria a algum lugar desconhecido do Universo.

Golfo de Áden fica ao sul da península arábica

Vórtice do golfo de Áden: um buraco de minhoca?

já explicamos como funciona o conceito por trás dos “buracos de minhoca”. Eles seriam, basicamente, formas de viajar no tempo e no espaço de maneira muito rápida, sendo bastante utilizados em filmes de ficção científica. Até hoje, entretanto, trata-se apenas de uma teoria.

No final do ano 2000, um suposto vórtice foi visto se formando sobre o golfo de Áden. Os EUA teriam montado uma base em Djibouti para analisar o estranho fenômeno, que pôde ser avistado de diversos lugares da Europa, principalmente da Noruega.

A partir de 2008, esse vórtice teria aumentado. Foi então que o governo norte-americano solicitou a presença da Marinha de diversos países na região. A desculpa dada foi de que era para investigar os piratas somalis que dominam o golfo – olha eles aí novamente. Porém, para teóricos de conspiração, essa manobra foi para investigar o fenômeno que pode ser a passagem para outros mundos.

Não é Photoshop: fenômeno luminoso sobre o céu da Noruega durou 12 minutos e teria origem no golfo de Áden
Teste militar ou fenômeno sobrenatural?

Na época da expansão do vórtice, cerca de 50 terremotos atingiram a região do golfo de Áden – algo que não havia sido relatado na história moderna. Esses sismos ocorrem a 10 km de profundidade e atingiram até 5,4 pontos na escala Richter.

Sobre as luzes no céu da Europa, falou-se inicialmente que eram testes de mísseis russos, que logo foram desmentidos pelo governo desse país, dizendo que aquilo se tratava de um fenômeno normal. Porém, pouco tempo depois, a Rússia voltou atrás e confirmou que realmente eram alguns experimentos. Estranho, não acham?

Confira um vídeo do vórtice visto da Noruega:


Mais estranho ainda é saber que as profundezas marítimas do golfo de Áden apresentam uma anomalia magnética: por lá, os polos são invertidos. Algo assim já aconteceu no Sol, e os cientistas acreditam que os polos da Terra estão se invertendo graças à consciência humana coletiva! Mas hein?

Algumas teorias apontam que o campo magnético está por trás de nossos pensamentos, sentimentos e consciência. Assim, a mudança do magnetismo terráqueo seria resultado da própria evolução do pensamento humano.

A WikiLeaks entra na jogada

Achou pouco até aqui? A história ganha ainda mais alguns pontos quando o próprio vazamento de informações ultrassecretas da WikiLeaks supostamente comprovaria a existência do tal vórtice. Porém, o tal email que circulou em 2011 e aborda o assunto foi adulterado por um grupo que curte uma fraude na internet.

Entretanto, o próprio Julian Assange, criador da WikiLeaks, já precisou explicar esse email e falar sobre a existência de alienígenas. O “informante” disse que a maioria das informações recebidas pelo grupo são boatos infundados. Inclusive, as pouquíssimas referências a assuntos paranormais são tratadas com desdém em emails divulgados pela WikiLeaks.

Julian Assange, fundador da WikiLeaks, disse que nunca recebeu emails com informações concretas sobre alienígenas

Golfo de Áden: uma importante rota marítima

E por que não deixar o tal do golfo de Áden nas mãos dos piratas? O problema é que ele é uma rota marítima muito usada tanto por militares quanto por civis. Mais de 21 mil navios cruzam suas águas anualmente. Será que ninguém, até hoje, teria visto alguma coisa mais concreta? Será que o suposto vórtice nunca mais teria aparecido?

Pelo jeito, a tal prova definitiva sobre a existência extraterrestre ainda deve demorar um pouco para aparecer – se é que algum dia vai existir, não é mesmo? Entretanto, esse tipo de assunto sempre terá espaço aqui no Mega Curioso. Se você tem alguma ideia interessante, faça como a Débora e mande sua sugestão!
E não deixe de comentar aí embaixo o que você achou desta história mirabolante! Será que o tal vórtice realmente existe ou é apenas mais uma invenção de quem adora uma conspiração paranormal?



Read More

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

10 biquínis e maiôs criativos para usar neste verão

03:51 0
Alguns vão parecer até um pouco bizarros (ou muito), mas no mínimo você vai se tornar a sensação do verão se usar estes biquínis ou maiôs:


















Read More

10 profissões que você jamais iria imaginar que já existiram

03:41 0
Muitos de nós já tivemos um trabalho que preferiríamos esquecer, com um não-tão-agradável chefe que estaríamos felizes de nunca ver novamente. Mas se nós olharmos para o passado, vamos tirar um momento para sermos gratos pelos trabalhos que não existem mais:


10. Relógio-humano

Nós todos odiamos o som do despertador numa fria e chuvosa manhã, mas poderia ser pior. Você, aliás, poderia ser o despertador. Essa era a parte mais cedo da rotina de um relógio humano (knocker-up), uma profissão na Inglaterra e na Irlanda durante a Revolução Industrial.
Antes de todos nós termos despertadores que nos afastassem das nossas camas, essa era a responsabilidade de um relógio humano para certificar-se de que trabalhadores na cidade estivessem acordados na hora certa para ir ao trabalho. Eles geralmente carregavam uma longa vara que os permitiam bater nas janelas dos trabalhadores sonolentos até que eles despertassem. Era comum aos gerentes contratar um relógio humano para terem certeza de que seus empregados estivessem no trabalho a tempo. Mas o que também se tornou um grande mistério: quem acordava o relógio humano?



9. Espalhador de ervas

Antes mesmo de organizados sistemas de esgotos, a grande quantidade de despejos humanos da cidade de Londres acabava indo direto para o rio Tâmisa. Isso, juntamente com a imundície geral da cidade, fez com que Londres não fosse exatamente o melhor lugar para se cheirar. Isso fez com que a atividade de espalhar ervas se conduzisse a uma profissão na Inglaterra durante o século XVII.
O trabalho de um nobre espalhador de ervas era, geralmente, conduzido por uma mulher, da qual era preciso distribuir ervas e flores com odores agradáveis por toda área nobre, numa tentativa de mascarar os odores desagradáveis que cercavam a cidade. As espalhadoras de ervas estariam presentes em eventos da nobreza, com vestidos extravagantes e cestas para carregar suas ervas. Embora que a profissão nunca tenha realmente acabado, não existem mais nenhum trabalhador com esse título de nobreza. O último monarca a contratar alguém com esse trabalho foi George IV, em 1820.


8. PowderMonkey (macacos em pó)

Um PowderMonkey era um termo usado para descrever jovens garotos empregados em navios de guerra. Era responsabilidade deles garantir que a tripulação tivesse um constante suprimento de pólvora, pondo suas vidas em risco por conta de fumaça e chamas causadas pelas batalhas. A pior parte? Os meninos não estavam lá por escolha. Não só era um trabalho altamente perigoso, como também algumas crianças eram sequestradas e forçadas a trabalhar nestes navios por gangues de marinheiros que tinham uma escassez de empregados. Enquanto suas idades e tamanhos os tornassem mais fáceis para se levar por aí imperceptíveis durante as batalhas, transportar pólvora para os canhões era um trabalho considerado de alto risco.



7. Log Drivers (motoristas de madeira)

Imagine transportar madeiras durante o dia todo, todos os dias. Esse certamente poderia ter sido seu trabalho se você estivesse vivo por volta de 1800. Antes de serrarias portáteis,a exploração florestal era limitada em poucas opções. O trabalho de um “motorista de madeiras” era utilizar o percurso de um rio para mover madeiras serradas de florestas milhas distantes. O método era popular durante os primórdios da atividade de exploração florestal, porém entre a época de 1900, estradas de ferro estavam sendo construídas na maioria das cidades, o que fez com que os rios fossem menos utilizados como meio de transportação.
Embora a profissão morresse por volta do século XX, a prática de transportar madeiras dessa forma vive pela cultura popular. Uma música folclórica canadense de nome “The Log Driver’sWaltz” foi escrita falando sobre uma jovem mulher que se casou com um motorista de madeira; a mesma se tornou um filme de curta duração realizado em 1979.


6. Cortador de gelo

Houve uma época que pessoas que queriam um drink gelado não poderiam simplesmente recolher pequenos cubos de gelo de seu freezer. Se você precisasse de gelo naquela época, você teria que contratar um especialista. Quebrar gelos era a profissão de esquimós durante os meses de inverno, quando o gelo tinha se formado o bastante por cima da superfície da água para ser colhido. Os grupos de trabalhadores poderiam dividir a superfície desse gelo em cubos e começavam a cortar cerca de 1500 toneladas de gelo por dia.
O desenvolvimento da tecnologia de refrigeração permitiu que a quebra de gelo cessasse de ser uma ocupação necessária. Entretanto, existe um museu em Maine dedicado para a prática histórica da colheita de gelo e ainda é uma tradição anual cortar o gelo de um lago local. Mas os únicos profissionais cortadores de gelo que encontraremos na indústria atualmente serão aqueles que esculpem gelo como uma obra de arte.


5. Arrumadores de Pinos

Voltando antes para a tecnologia que nós concebemos hoje, as pessoas eram empregadas para fazer quase todos os trabalhos que não são mais necessários hoje em dia, como alinhar pinos de boliches, por exemplo. Os arrumadores de pinos recolocavam os pinos caídos no lugar e retornavam a bola de boliche para os jogadores. Geralmente sendo um trabalho de meio expediente com um pequeno pagamento, o trabalho era geralmente designado para jovens adolescentes. Aparentemente, não era um trabalho sem graça como parece ser. Para os garotos jovens ele era visto até como sendo um passo à frente em suas carreiras.
O colocador de pinos automático foi desenvolvido por um fabricante chamado Gottfried Schimdt em 1936, e se tornou utilizada pela maioria das pistas de boliche nos anos 50, resultando em um declínio rápido dos trabalhadores manuais que eram requisitados para esse emprego. Entretanto, ainda existem um extremo número pequeno de lugares que mantém a tradição de ter uma pessoa responsável pelos pinos a uma máquina.


4. Ressurreicionista

Roubar covas voltaria à tona tão longe quanto o ano de 1300, mas desde o século XVI, haviam outras pessoas que desenterrariam os mortos mas por uma razão completamente diferente. Ressurreicionistas ou procuradores de corpos – como às vezes eram chamados – eram contratados por autônomos para exumar corpos com o propósito de pesquisa medicinal.
Os ressurreicionistas não eram aceitos pelo público, geralmente. E haviam várias esforços feitos para que eles parassem de trabalhar, como os guardas noturnos em cemitérios e barras de ferro por volta das covas. Com uma lei aprovada em 1832, tornou-se legal a prática de utilizar corpos para pesquisas médicas.


3. Leitor

A palavra “leitor” usualmente nos faz pensar geralmente nos faz pensar em professores universitários e alto-falantes públicos, mas na década de 1900 , um leitor era, na verdade, uma forma de entretenimento.
A vida em uma fábrica de charutos era um trabalho principalmente manual, incluindo o fator do enrolar de cigarros à mão,então os leitores provaram ser bons para o moral dos trabalhadores, e os próprios trabalhadores se reuniam em conjunto para ajudar a pagar o salário do leitor . Leitores teve uma enorme influência sobre os trabalhadores,proporcionando uma educação para eles através de sua leitura. Mas não sempre ir para baixo bem com os proprietários da fábrica, o que levou à remoção de leitores em favor de rádios durante os anos 20.



2. Colecionador de sanguessugas

Coletar sanguessugas é uma profissão que vem desde a época Medieval, e sim, é exatamente o que você acha que é. No começo do ano de 1800, sanguessugas eram altamente populares em usos médicos e foram procurados pelos cirurgiões em toda a Europa. O aumento da procura sobre os pequenos sanguessugas levou a uma profissão que se dedicou a colecioná-los . Como?Se tornando um colecionador de sanguessugas.
Os trabalhadores, sendo a maioria mulheres, iriam percorrer lagoas em busca das criaturas. Atraí-los era simples: só mostrar um pouco de pele. As mulheres descobriam seus pés na água para atrair os vermes. Como todos os trabalhos , ele veio com seus riscos . Um grande número de colecionadores tornou-se infectado por permitir que as sanguessugas de se agarrassem a eles. Havia tal furor sobre sanguessugas que os colecionadores até receberam algumas menções poéticas de William Wordsworth.


1. Comedor de pecados

Já imaginou que se você roubou um biscoitinho da casa da sua vó quando criança, suas chances de ir pro inferno aumentaram? Bem, se você tivesse vivido no século XVI, você não teria motivos pra se preocupar, porque haviam pessoas que tomariam de conta de você. Os “comedores de pecados” cumpriam um ritual no qual eles consumiam comida, geralmente pão, e uma bebida que ou poderia estar no corpo de um falecido ou jogado sobre o mesmo, digerindo , assim, os pecados da alma daquela pessoa. A profissão não foi aprovada pela maioria das igrejas , e o último conhecido comedorde pecados morreu em 1906.












Read More

domingo, 29 de janeiro de 2017

Top 10 portais para o inferno que você pode visitar

06:24 0
No mundo antigo, a morte era uma presença muito mais tangível na vida das pessoas. As vidas eram mais curtas, e não havia hospitais para evitar qualquer tipo de morte.
A proximidade da morte tornou a mesma natural para as pessoas imaginarem que a vida após a morte era igualmente próxima. Nesta seleção estão em destaque os 10 portais para o inferno que você pode visitar.

10° Alepotrypa


Alepotrypa na Grécia é um sistema enorme de caverna que pode ser a inspiração para o mito sombrio de Hades. A caverna até contém um lago que pode ter sido o caminho que os mortos atravessavam entre os mundos.
Iniciando por volta de 6.000 anos atrás, os enterros e rituais começavam na caverna. Cerâmica e outras ofertas foram descobertas entre os 170 indivíduos enterrados ali. Um casal foi encontrado abraçado para sua jornada ao próximo mundo.


9° Actun Tunichil Muknal


Actun Tunichil Muknal é uma caverna em Belize, onde os antigos acreditam ser a entrada para o Submundo Maia, Xibalba. Os rituais maias na caverna envolviam fogo, ofertas de cerâmica, e sacrifício humano.



8° Plutônio


Assim como o elemento radioativo, Plutônio é também o nome de uma entrada para Hades grego, Portão de Plutão. Em Hierápolis, a moderna Pamukkale na Turquia, há um lugar que os moradores chamavam de forma promissora de “buraco do demônio”.
E foi aqui que os restos de um santuário para Plutão teria sido encontrado. Os escritores antigos tinham descrito Plutônio em Hierápolis, mas foi apenas recentemente descoberto ao lado das ruínas de um templo para Apolo.



7° Vulcão Masaya


Quando Conquistadores chegaram à Nicarágua, eles descobriram um vulcão Masaya em erupção. Imediatamente, eles o chamaram de La Boca del Infierno, A Boca do Inferno. A população local não tinha crença que o vulcão era uma entrada para o submundo, mas os espanhóis estavam suficientemente certos que eles plantaram uma cruz na borda da cratera para exorcizar o diabo.


6° Lago Pergusa 




 Sicília é lar para Etna, outro vulcão impetuoso com uma reputação de entrada para inferno. Mas é também o lugar onde Hades arrastou Perséfone, filha da deusa da colheita, até a casa dele no Submundo.
O poeta Ovídio relata que Perséfone estava próxima ao Lago Pergusa quando Hades a agarrou. Com sua filha desaparecida, Ceres não permitiria que qualquer coisa cresça. Um acordo foi feito em que Perséfone passaria 6 meses acima do solo, primavera e verão, e 6 abaixo da terra com seu novo marido, outono e inverno.
Cada ano, na primavera, Perséfone sobe do inferno e emerge através do Lago Pergusa. Nas proximidades de Etna, houve uma vez um templo para Ceres onde a deusa aguardaria um retorno de sua filha.


5° Porta para Inferno


No Turcomenistão, há uma cratera constantemente acesa. Suas origens são contestadas, mas é decididamente moderna. Há uma alegação a data à exploração soviética em 1971.
Enquanto pesquisando por gás natural, eles descobriram que o furo de perfuração deles estava liberando gases nocivos. Eles pensaram que uma solução sensata seria queimar. A cratera pegou fogo, e continuou a queimar desde então.
A Cratera Darvaza, como a Porta do Inferno é mais prosaicamente conhecida, pode não ter muito haver com as origens da antiguidade, mas é certamente um atrativo para turistas em um local vazio diferente. E ainda, aparentemente, atrai aranhas para seu calor e fervor, levando as mesmas a cair no fosso ardente.


4° Hells of Beppu




No Japão, este lugar se estende do belo Sea Hell com águas brilhantes azuis até Chinoike-Jigoku, inferno de lagoa de sangue, com suas águas vermelhas e vapor. Apesar da natureza cênica destes infernos, há um lado mais escuro. No passado, as águas escaldantes foram usadas para tortura e execução.


3° Fengdu City of Ghosts



Na montanha Ming na China, um complexo de templos e santuários tem crescido. Tudo tem alguma associação com a vida após a morte e aqueles buscando alcançá-la.
A montanha ganhou sua associação ao inferno quando 2 pessoas que buscavam sabedoria, Yin e Wang, foram ali para seguir os ensinamentos Toaist. Eles se tornaram imortais sábios, mas é a junção do nome deles que levou a Cidade dos Fantasmas a ser construída, Yinwang significa “rei do inferno”.


2° Cave of the Sibyl


No mundo antigo, as pessoas levavam profecias a sério. Sob a influência de um deus, pensava-se que certas pessoas poderiam ver o futuro. Espalhados por todo o mundo havia sibilas, profetas mulheres, que as pessoas buscariam para responder suas questões.
A mais famosa fez seu lar na Itália, em Cumae. Em Eneida, a Sibila de Cumas é procurada por Aeneas em sua caverna. Ela diz a ele que para ter sucesso na fundação de uma grande nação, Roma, ele deve descer para o Submundo. Ele é levado para dentro da Terra e observa os espíritos dos Mortos Ilustres.
Em Eneida, a sibila fala de uma caverna com 100 bocas que amplifica suas profecias. A caverna chamada Sibyl’s em Cumae foi encontrada em 1932 e tem muitas entradas, se não muito poeticamente amplificadas 100.


1° Necromanteion of Ephyra


Hades contém 5 rios. Curiosamente este lugar fica ao lado de 3 deles. Acheron, “rio da aflição”, Pyriphlegethon, “ardente com fogo”, e Cocytus, “rio da lamentação”. E foi o Acheron que o barqueiro Charon conduziu de lado a lado as almas dos mortos. Neste local, uma pessoa poderia buscar se comunicar com aqueles do outro lado do rio.
Aqueles buscando usar Necromanteion se limpariam antes de ser conduzido abaixo em túneis subterrâneos passando vários portões de ferro. No escuro, lanternas eram acesas, e os fiéis veriam as formas dos mortos nas luzes piscando.

Read More

Post Top Ad